Ofélia Boisson Cardoso: O nascimento de uma carreira dedicada à Educação e a Psicologia

Henllyger Estevam David

Resumo


Esta pesquisa buscou compreender como se consolidou a trajetória intelectual de Ofélia Boisson Cardoso, professora e psicóloga brasileira que atuou de forma expressiva no cenário educacional em meados do século XX.  Esta investigação se consolidou na perspectiva da história cultural tendo como metodologia a análise documental que segundo Le Goff (1990) “A visão de que o documento para o historiador não é qualquer coisa que fica por conta do passado, é um produto da sociedade que o fabricou segundo as relações de forças que se estabeleceram nessa produção”. (LE GOFF, 1990, p.545). Utilizamos como fontes privilegiadas para a construção desta pesquisa jornais que circularam no país entre as décadas de 1930 e 1990. Como fundamentação teórica destacamos alguns autores que auxiliaram na compreensão de como ocorreu a trajetória da personagem em questão, Alves (2011); Bourdieu (1998); Chartier (2014); Guzzo (2010); Luca (2015); Magaldi (2010); Pinsky (2014); Sirinelli (1996); Thompson (1981). A partir desta pesquisa pudemos reconhecer que no decorrer da década de 1940, a carreira intelectual de Boisson foi se construindo, ao mesmo tempo em que ganhava visibilidade na imprensa periódica. A partir dos anos de 1940, Ofélia ocupou cargos importantes no âmbito educacional no Rio de Janeiro que, aos poucos, trouxeram-lhe uma legitimidade cada vez maior.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Claudia; LEITE, Juçara Luzia (org.). Intelectuais e História da Educação no Brasil: poder, cultura e políticas. Vitória: EDUFES, 2011.

BOURDIEU, Pierre. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (org.). Escritos de educação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

CARDOSO, Aliana Anghinoni; PERES, Eliane. A criação da Seção Pelotense da Associação Brasileira de Educação (ABE) e suas primeiras ações no campo educacional. História da Educação, ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, n.17, p. 51-68, abr. 2005. Disponível em: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=12&ved=0ahUKEwiKj4uBzdbYAhWJkZAKHay5BQ0QFghbMAs&url=https%3A%2F%2Fdialnet.unirioja.es%2Fdescarga%2Farticulo%2F4062629.pdf&usg=AOvVaw2FOmVECrNiV7xM17C2GLcP. Acesso em: 5 jan. 2018.

CHARTIER, Roger. O que é um autor? Revisão de uma genealogia/ Roger Chartier: Tradução: Luzmara Curcino; Carlos Eduardo de Oliveira Bezerra. São Carlos: EduFSCar, 2014.

GUZZO, Raquel S. L. et al. Psicologia e Educação no Brasil: uma visão da história e possibilidades nessa relação. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 26, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-37722010000500012#tx:. Acesso em: 8 abr. 2018.

LUCA, Tania Regina. Mulher em Revista. In: DEL PRIORE, Mary (org.);

PINSKY, Carla Bassanezi (coord.). História das mulheres no Brasil. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2015. p. 447- 468.

MAGALDI, Ana Maria Bandeira de Mello; CUNHA, Maria Teresa S. Lições para mães e famílias: um estudo sobre manuais educativos na sociedade brasileira entre fins do século XIX e as primeiras décadas do século XX. In: MENDONÇA, Ana Waleska Pollo C. (org.). História e educação: dialogando com as fontes. Rio de Janeiro: Forma e Ação, 2010.

MOREL, Marco. Os primeiros passos da palavra impressa. In: MARTINS. Ana Luiza; LUCA, Tania de. História da Imprensa no Brasil. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2015. p. 24-43.

PEREIRA, André Ricardo. A criança no Estado Novo: uma leitura na longa duração. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 19, n. 38, 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01881999000200008. Acesso em: jul. 2017.

PINSKY, Carla Bassanezi. Mulheres nos anos dourados. São Paulo: Contexto, 2014.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: RÉMOND, René (org.). Por uma História política. Rio de Janeiro: UFRJ; Fundação Getúlio Vargas, 1996. p. 231-169.

THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros: Uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

Fontes

ARCHIVOS DE ASSISTENCIA A INFANCIA. Rio de Janeiro, 1944. 58 p. Disponível em:< http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=089842_06&pesq=Of%C3%A9lia%20Boisson&pasta=ano%20195. Acesso em: 2 fev. 2017.>

BRASIL 1944. Decreto 6.527. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-6527-24-maio-1944-451966-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 15 mai. 2018.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, 30 nov. 1941. 13 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=089842_05&PagFis=47782&Pesq=Of%c3%a9lia%20Boissonn. Acesso em: 2 fev. 2017.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, 22 nov. 1945. 08 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=089842_05&PagFis=47782&Pesq=Of%c3%a9lia%20Boissonn. Acesso em: 2 fev. 2017.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, 05 ago. 1945. 06 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=089842_05&PagFis=47782&Pesq=Of%c3%a9lia%20Boissonn. Acesso em: 2 fev. 2017.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, 31 dez. 1948. 06 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=089842_05&PagFis=47782&Pesq=Of%c3%a9lia%20Boissonn. Acesso em: 2 fev. 2017.

DIARIO DE NOTICIAS. Rio de Janeiro, 17 dez. 1942. 1º caderno. 6 p. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=093718_02&pesq=Of%C3%A9lia%20Boisson&pasta=ano%20194. Acesso em: 2 fev. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.