LEMBRANÇAS DE FILOMENA: Uma mirada biográfica sobre a primeira normalista de Codó – Maranhão (1908-1953)

MARIA ALDA PINTO SOARES, MARIA DO AMPARO BORGES FERRO

Resumo


No presente artigo, aborda-se a trajetória profissional de Filomena Catarina Moreira, apontada pela História da Educação de Codó, no Estado do Maranhão, como a primeira professora normalista da cidade, exercendo o magistério inicialmente na Escola Mista César Brandão e depois no Grupo Escolar Colares Moreira, onde foi a primeira diretora e instruiu toda uma geração de codoenses que passou a ocupar importantes cargos na vida pública da cidade e do estado. Busca-se assim, analisar seus saberes e fazeres e os desafios pelos quais passara durante o exercício do magistério, tendo em vista que, era uma mulher de origem humilde, não pertencente à família de elite e era negra, fatores incomuns para uma professora no período (1908 a 1935), uma vez que, a instrução reservava diferentes perspectivas entre e/ou para mulheres. Nessa investigação, passeia-se pela História da Educação de Codó, numa abordagem sobre as primeiras iniciativas de instrução escolar do município e o processo de feminização do magistério. Para isso, foi realizado um levantamento documental na Biblioteca Pública do Estado do Maranhão (Biblioteca Benedito Leite) e levantamento bibliográfico em livros, jornais e registros de inspeção; visita à Unidade Integrada Colares Moreira no município de Codó e entrevistas. As fontes foram catalogadas e analisadas observando as temáticas “mulheres e professoras de Codó”, com destaque para as que mencionavam a professora aqui biografada. Como resultado traçou-se uma biografia de Filomena apresentando características de sua vida pessoal e profissional e concluiu-se que tornar-se professora é um processo histórico, e, fazer-se professora dentro de uma sociedade assentada em preconceitos é ainda mais desafiador.


Referências


FONTES IMPRESSAS

a) Artigos em jornais e revistas

BIOGRAFIA DE JOSÉ RIBAMAR CARVALHO. Disponível em: http://joaopecegueirodias.blogspot.com.br/2011/11/voce-sabia.html. Acessado em 12.08.2015.

CRUZ, Mariléia dos Santos. A Educação dos negros na sociedade escravista do Maranhão provincial. Revista Outros tempos/Dossiê Escravidão.Volume 6, número 8, dezembro de 2009

LEIA HOJE, Revista. Enciclopédia do Maranhão- Codó. Ano VI- Nº 49- Ano 2000.

MOTTA, Diomar das Graças. Mulheres professoras maranhenses: memória de um silêncio. Revista Educação & Linguagem. Ano 11, Nº 18. Págs. 123-135, Jul-Dez, 2008.

SOARES, Maria Alda Pinto. Análise de 1940-1970: Espaços e Desafios das mulheres construtoras da educação no município de Codó- MA. Universidade Federal do Maranhão, UFMA, 2013. Disponível em: http://historiaehistoria.com.br/materia.cfm?tb=alunos&id=514. Acessado em 12.08.2015.

b) Atas

ATA, inauguração do Grupo Escolar Colares Moreira, 07 de Março de 1934. Codó, Maranhão.

______. Sessão solene da inauguração do retrato da professora Filomena Moreira, 24 de Agosto de 1952. Codó, Maranhão.

c) Monografias, dissertações e teses

RODRIGUES, Fernanda Lopes. A invisibilidade da mulher negra maranhense no estudo sobre a formação da professora na Escola Normal Pública em São Luís (1930-1945). Dissertação (Mestrado) Programa de Pós Graduação em Educação, São Luís, 2011.

SOARES, Maria Alda Pinto. Pelas Mãos Femininas: Memórias da Educação Codoense (1950-1980). Monografia (Graduação) – Universidade Federal do Maranhão, Curso de Licenciatura em Ciências Humanas com Habilitação em História, 2015.

d) Jornais

JORNAL A ESCOLA. Janeiro de 1918. Jornal Escolar. Ano 1. Nº 1. Acervo de periódicos da Biblioteca Pública Benedito Leite.

JORNAL CORREIO DO CODÓ. Janeiro de 1916. Ano IV. Nº 16. Acervo de periódicos da Biblioteca Pública Benedito Leite.

e) Leis e decretos

CODÓ-MA. LEI Nº 1.319, de 08 de Outubro de 2003. Dispõe sobre a Criação de Comendas do Município de Codó Maranhão e dá outras providências. Publicado em 08 de Outubro de 2003. Disponível em: www.camaradecodo.ma.gov.br.

FONTES ORAIS

1- Entrevistas

MACHADO, João Batista. Entrevista concedida a Maria Alda Pinto Soares. Codó – MA. Dezembro, 2013.

SILVA, Carlos Gomes da. Entrevista concedida a Maria Alda Pinto Soares. Codó – MA. Maio. 2013.

BIBLIOGRAFIA

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: AMADO, Janaína e FERREIRA, Marieta de Moraes. Usos e abusos da história oral. (8ª edição) Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006, p. 183-191.

CATROGA, Fernando. Memória, História e Historiografia. 1.ed. Coleção Opúsculos. Coimbra-Portugal: Quarteto Editora, 2001.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

LE GOFF, Jacques. Documento/monumento. In: Historia e memória. Tradução de Irene Ferreira, Bernardo Leitão, Suzana Ferreira Borges. 5. ed. Campinas, SP: UNICAMP, 2003. p. 525-539.

MACHADO, João Batista. Codó, histórias do fundo do baú. FACT/ UEMA, 1999. 298 p.

MATOS, Maria Izilda; BORELLI, Andrea. Espaço Feminino no mercado produtivo. In: PINSKY. Carla Bassanezi. PEDRO. Joana Maria (Org.). In: Nova História das mulheres no Brasil. 1ª Ed., 1ª reimpressão. - São Paulo: Contexto, 2013.

NEPOMUCENO, Bebel. Protagonismo Ignorado. In: PINSKY. Carla Bassanezi. PEDRO. Joana Maria. In: Nova História das mulheres no Brasil. 1ª Ed., 1ª reimpressão. - São Paulo: Contexto, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.