A INVESTIGAÇÃO DA TRAJETÓRIA DE VIDA E PROFISSIONAL DA PROFESSORA PRIMÁRIA E AUTORA DE GRAMÁTICA ADELIA ENNES BANDEIRA

Fernando Rodrigo dos Santos Silva

Resumo


Este trabalho relatou o percurso da pesquisa sobre a trajetória de vida e profissional da professora primária Adelia Ennes Bandeira, primeira mulher a produzir uma gramática prática no final do século XIX. A proposta foi refletir sobre as dificuldades de pesquisar educadores que não juntaram documentos sobre si. Neste sentido, foi proposto o uso dos periódicos diários como fonte para suprir a ausência documental. A pesquisa se inspirou nas contribuições da História Intelectual e da História das Mulheres. Optou-se pela abordagem documental e as fontes foram recolhidas de três instituições de salvaguarda na cidade do Rio de Janeiro: Hemeroteca Digital da Fundação Biblioteca Nacional, Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro e Centro de Memória do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMANAK LAEMMERT: administrativo, mercantil e industrial. [1908]. Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em: 06/04/2019

BANDEIRA, Adelia E. (1929). Grammatica Portugueza Pratica. Rio de Janeiro: Editora Francisco Alves.

BRASIL. Decreto n. 10.060 de 13 de outubro de 1888. Dá novo Regulamento à Escola Normal. Publicado como anexo C do Relatório do Ministro dos Negócios do Império, Antônio Ferreira Vianna. Apresentado à Assembléia Geral Legislativa, em 15 de maio de 1889. Rio de Janeiro: Tipografia Nacional, 1889, p. 1-36. Disponível em: http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/u1374/000207.html.

COLLECÇÃO DE LEIS MUNICIPAES E VETOS. [1897] Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em 25/05/2019.

CRUZ, (A). [1923]. Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em 27/03/2019.

DISTRITO FEDERAL. Decreto n. 982, de 8 de novembro de 1890, altera o regulamento da Escola Normal da Capital Federal. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-982-8-novembro-1890-515569-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso, 23/06/2019.

GAZETAS DE NOTÍCIAS. [1891, 1896]. Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em 19/04/2019.

GLABER, Louise. (2018). Conselho de Instrução Superior da Capital Federal. Disponível em < http://mapa.arquivonacional.gov.br/index.php/dicionario-primeira-republica/561-conselho-de-instrucao-superior-da-capital-federal>, acesso em 17/05/2019.

GOMES, Angela de C. (1993). Essa gente do Rio... os intelectuais cariocas e o modernismo. Revista de Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 6, n. 11, p. 62-77, jul.

______. (2004). Escrita de si, escrita da história. Rio de Janeiro: FGV.

______.; HANSEN, Patricia S. (2016). Intelectuais mediadores: práticas culturais e ação política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

JORNAL DO BRASIL. [1892]. Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em 04/03/2019.

JORNAL DO COMMERCIO [1878, 1890, 1891, 1892, 1896, 1897, 1898, 1899]. Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em jan/2019

MERCANTIL, (O). [1883]. Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em 23/04/2019.

OLIVEIRA, Paloma R. (2015). O Gymnasio Leopoldinense e o projeto educativo de formação da elite republicana na Zona da Mata mineira (1906-1926). Tese [Doutorado em Educação] – Faculdade de Educação, PUC-Rio, Rio de Janeiro, p. 294.

PAIZ, (O). [1913]. Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em 17/03/2019.

PERROT, Michele. (1998). Mulheres Públicas. São Paulo: Fundação Editora da Unesp

______. (2007). Minha História das Mulheres. São Paulo: Contexto.

RELATORIO DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA [1892;1893]. Disponível em http://bndigital.bn.br/hemeroteca-digital/. Acesso em 03/05/2019

SIRINELLI, J. F. (2003). Os Intelectuais. In: REIMOND, R. (org.) Por Uma História Política. Rio de Janeiro: FGV, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.