n. 2 (2016)

CORPO

O corpo é elemento presente e recorrente na literatura. Muitos teóricos se dedicaram à reflexão sobre os diversos aspectos da corporeidade na arte e nas relações sociais humanas, tais como Deleuze, Derrida, Foucault, Agamben, Dolto, Courtine, Merleau-Ponty, Luis Alberto Brandão, Pierre Lévi e vários outros. Essas abordagens do corpo o colocam no eixo entre diferentes ciências cuja consonância frequentemente se encontra na literatura. A própria relação entre escritura e leitura, cujo processo transita entre virtualização e atualização, se realiza através da atuação subjetiva de corpos humanos perante a realidade. Estudos contemporâneos brasileiros tem ressaltado essas e outras relações de corporeidade consonantes com a literatura.

Sumário

Artigos

Apresentação PDF
Tiago Barbosa Souza 1 - 6
A literatura como atividade do corpo-limite PDF
Luis Fernando Balby 7 - 17
A poesia moderna como gesto erótico PDF
Josiclei Souza 18 - 32
Críticas afetivas da poesia contemporânea: construindo relações PDF
Aline de Almeida Moura 33 - 49
O corpo homossexual e o regionalismo universal em Meu tio tão só PDF
José Humberto dos Santos Santana 50 - 66
Não temos dançarinos ouvidos nas pontas dos pés? Anotações sobre corpo e dança em Bodas de sangue PDF
Marcilio de Souza Vieira 67 - 85
Um corpo no prato: da performance autoral ao canibalismo literário em Divórcio, de Ricardo Lísias PDF
Willian Vieira 86 - 109
Suplemento Cultural PDF
Vários Autores I - XV


REVISTA CONTRAMÃO -

periódico do Núcleo de Pesquisa em Literatura Contemporânea da UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - UFPI.