A lógica é culturalmente relativa? Algumas considerações sobre os argumentos de David Bloor e Tim Triplett sobre os Azande.

Diana Patricia Ferreira de Santana

Resumo


O objetivo deste trabalho é apresentar osargumentos de dois autores quanto a seguintequestão: a lógica é culturalmente relativa? Osautores em questão são David Bloor e Tim Triplett eo objeto de suas considerações recai sobre umaexaustiva pesquisa realizada pelo antropólogoinglês E. E. Evans-Pritchard, em 1937, sobre osazande. Segundo Bloor (1991), as crenças dosazande os levaram a institucionalizar um errológico. Entendendo que os passos lógicos sãoproposições que tomamos como corretas, uma vezque os azande assumem como certa asafirmações a respeito de suas crenças, Bloorconclui que deve haver duas lógicas: a lógicaocidental e a lógica azande. Tim Triplett contrapõesefortemente a esta conclusão escrevendo em1994 um artigo para mostrar que não há qualquerdiferença entre a lógica dos azande e a lógicaocidental. Para esse autor, Bloor fez uma leituraequivocada das observações de Evans-Pritchard ese propõe a esclarecê-las. Um dos passos paracompreender o debate é esclarecer o significado dotermo relativismo lógico e em seguida elucidá-lo àluz dos argumentos de Bloor e Triplett.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.