BRINCAR DE GEOGRAFIA: o lúdico no processo de ensino e aprendizagem

Igor Araújo Araújo Pinheiro, Valéria Sousa Santos, Francisco Gomes Ribeiro Filho

Resumo


Este artigo resulta de uma análise acerca da contribuição do lúdico no processo de ensino e aprendizagem de Geografia nas turmas de 6º e 7º anos do ensino fundamental, da Unidade Escolar Santa Inês, em Teresina-PI. Na realização da análise em questão, foram utilizadas duas modalidades de pesquisa: a pesquisa bibliográfica e a pesquisa de campo. A pesquisa bibliográfica, que também serviu de suporte à interpretação dos dados obtidos por meio da pesquisa de campo, apoiou-se em autores com vasta produção acerca do tema objeto deste estudo, tais como: SANTOS (1997), PASSINI (2007) PIAGET (1975) dentre outros. A pesquisa de campo fundamentou-se na aplicação de um questionário destinado aos professores e outro destinado aos alunos da escola supracitada, assim como também em um quadro de observação que viabilizasse a obtenção de dados acerca dos modos como o lúdico se faz presente nessa relação entre os professores e os alunos de Geografia. O ato de ensinar exigir riscos, pois requer que o professor busque diferentes recursos para alcançar os objetivos propostos em suas aulas. A aceitação do novo, tais como jogos, brincadeiras, dentre outros recursos lúdicos, constitui-se em algo de muita importância no processo de ensino e aprendizagem dos alunos, no trabalho com a disciplina de Geografia, o que permite trazer uma nova proposta teórico-metodológica, relacionada a esse campo de abordagem.

Palavras-chave


Lúdico. Ensino. Geografia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Equador, ISSN 2317-3491, Universidade Federal do Piauí.

QUALIS A4