QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO POTI E SUAS IMPLICAÇÕES PARA ATIVIDADE DE LAZER EM TERESINA-PI

Livânia Norberta Oliveira, Carlos Ernando Silva

Resumo


O presente artigo objetiva avaliar as condições de uso do rio Poti em Teresina para Lazer, tendo em vista que a capital piauiense apresenta elevadas temperaturas durante o ano, em detrimento de suas condições climáticas e estar localizada na confluência de dois importantes rios federais: o rio Poti e o Parnaíba, os quais sofrem grande pressão em consequência do expressivo crescimento urbano e o ineficaz sistema de esgotamento sanitário existente. Neste contexto o monitoramento da qualidade da água do rio Poti possibilita avaliar os impactos causados pela urbanização e propor soluções para melhor utilização dos recursos hídricos pela população. As amostras de água foram coletadas entre abril de 2009 e abril de 2013, em sete sítios selecionados no rio Poti, ao longo de 35 km de seu percurso. Foi aplicado um Índice de Qualidade da Água (IQA) com base em dez parâmetros. Constatou-se uma degradação crescente da qualidade da água do rio Poti conforme este adentra no núcleo urbano da cidade, deixando o rio impróprio para contato primário, assim como a vulnerabilidade do rio Poti e da população local frente ao impotente sistema de gestão recursos hídricos em Teresina.


Palavras-chave


Rio Poti. Teresina. Lazer

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Equador, ISSN 2317-3491, Universidade Federal do Piauí.