A ELABORAÇÃO DE UMA NOVA DESCRIÇÃO GERAL DA TERRA NOS PRIMEIROS SÉCULOS DA ÉPOCA MODERNA (1522 – 1780)

Francisco de Assis Veloso Filho

Resumo


Na passagem entre os séculos XV e XVI, ocorreu uma grande mudança no campo da Geografia, como resultado das navegações marítimas e explorações empreendidas por cidades e reinos da Europa. Iniciou-se então um longo processo de reconhecimento, descrição e representação das terras, oceanos, mares e diferentes regiões da Terra. Este artigo tem por objetivo identificar os principais avanços nesse processo de elaboração de uma nova descrição geral da Terra, desde o início do século XVI, até fins do século XVIII, quando as explorações chegaram aos limites alcançáveis com os conhecimentos e as técnicas então disponíveis. A pesquisa iniciou-se com a identificação de grupos de interesses ou organizações envolvidos com o tema “descrição geral da Terra”, no princípio do século XVI: especialistas agregados pela navegação e comércio ultra-marinhos, letrados renascentistas e produtores de mapas, globos e atlas; e seguiu com a identificação de novas organizações ou grupos de interesse envolvidos com o tema, ao longo do período considerado. Ao final desse processo, estava concluído o debate sobre a forma do planeta, um esferoide oblato, tendo em vista a medição de um grau de meridiano em diferentes latitudes, o que também permitiu novas estimativas do seu raio. Reconheceu-se a extensão do Oceano Pacífico e a unidade daquelas terras e ilhas como a quinta parte do mundo: a Oceania. As explorações alcançaram os limites estabelecidos pelas regiões polares e os aprimoramentos dos métodos e instrumentos para cálculo da latitude e da longitude permitiram novas representações dos continentes, arquipélagos, oceanos e mares na superfície da Terra.

 


Palavras-chave


História do Pensamento Geográfico; Cosmografia; Geografia Geral; Mapas do mundo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Equador, ISSN 2317-3491, Universidade Federal do Piauí.