CONSUMO DE CARNES E CIDADANIA: Uma análise a partir da “Segunda sem Carne” em Teresina-PI

Dayanne Batista Sampaio, Denis Barros de Carvalho

Resumo


Em decorrência das discussões sobre a crise ambiental, algumas estratégias têm sido propostas para a reorientação da relação homem-ambiente. Nesse contexto, o consumo tornou-se temática de discussão, com ações que visam iniciar um processo de percepção que tome como elemento a cidadania. Relacionando consumo de carnes e percepção ambiental, tem-se o seguinte problema: qual(is) a(s) percepção(ões) dos consumidores acerca dos impactos ambientais da produção e do consumo de carnes? Objetivou-se neste artigo compreender como consumidores percebem e avaliam a “Segunda sem Carne” enquanto proposta politizadora e ambiental. Optou-se pelas técnicas de grupo focal exploratório e entrevista individual em profundidade para a obtenção das informações e pela análise de conteúdo temática para análise do material. Puderam-se verificar resistências relativas à adoção da Segunda sem Carne, pois existem dúvidas quanto ao seu caráter educativo. Além disso, há contradições entre os participantes relacionadas à necessidade dessa discussão frente aos problemas existentes na sociedade.

Palavras-chave


Consumo. Cidadania. Consumo de Carnes. Percepção Ambiental. Segunda sem Carne.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Equador, ISSN 2317-3491, Universidade Federal do Piauí.

QUALIS A4