VIOLÊNCIA SEXUAL: VULNERABILIDADE E A CONDUTA EM SERVIÇO DE SAÚDE DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

Marina da Costa Magalhães, Gabriela Hochscheidt Mahl, Letícia Lanzarin Gehm, Cristiane Pimentel Hernandes

Resumo


OBJETVO: analisar fatores de vulnerabilidade de vítimas de violência sexual e a conduta tomada em um serviço de referência para o atendimento de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) no interior do Rio grande do Sul. MÉTODOS: O estudo possui caráter transversal, retrospectivo, com dados secundários, obtidos através da revisão de prontuários referentes ao período de 1994 a 2014 em um serviço de referência no interior do estado do Rio Grande do Sul. RESULTADOS: constatou-se 24 vitimas de violência sexual no período, das quais 91,6% eram do sexo feminino. A média de idade foi de 19,3 anos. 12,5% das vitimas receberam anticoncepção de emergência e 29,1% receberam profilaxia contra ISTs. CONCLUSÃO: Nossos dados corroboram os encontrados na literatura em relação ao perfil das vitimas de violência sexual, porém, a realização de profilaxia contra ISTs foi baixa, demonstrando a necessidade de planejamento de políticas públicas voltadas para esse perfil, com o objetivo de redução de danos e construção de condições de proteção e autonomia das pessoas nessa situação.

Palavras-chave


Violência sexual; Doença Sexualmente Transmissível, Vigilância, Epidemiologia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26694/repis.v3i0.5848

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexada nas bases:

Cuiden

Diadorim

IBICT

Index Copernicus International

Latindex

Sumarios.org

Research Bible

CrossRef

Universal Impact Factor