CURRÍCULO, PESQUISA E ENSINO: TESSITURAS FORMATIVAS A PARTIR DE “CONVERSAS” COMO METODOLOGIA DE COLETA DE DADOS DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO

Francisco Renato Lima, Jovina da Silva

Resumo


A luta por uma escola pública de qualidade pressupõe a construção de um currículo de modo coletivo no cotidiano escolar, como forma de enfrentar as desigualdades sociais que se reproduzem no interior da escola, que muitas vezes, ainda privilegia as classes mais favorecidas, ao invés das massas populares. É sob esta discussão que tratamos neste estudo, no qual objetivamos traçar considerações acerca dos principais pontos abordados pela professora Dra. Regina Leite Garcia em uma palestra em que tratou sobre o papel da escola na atualidade; a importância do currículo situado no contexto tempo x espaço; o reconhecimento e valorização ao pensamento freireano; e a utilização de “conversas” cotidianas como instrumento metodológico nas pesquisas de educação. Constitui-se assim, como um relato de experiência, vivenciada no “XI Encontro de Pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Educação: Currículo da PUC-SP”, sob o tema: “Currículo: tempos, espaços e contextos”, nos dias 29 e 30 de outubro de 2013, no Campus Perdizes, da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). No tratamento desses dados, apoiamos-nos nas leituras de Alves (2002), Alonso (2003), Barbosa (1947), Coulon (1995), Freire (2000), Nóvoa (1998), Popkewitz (2001), Saul (2006) e outros, com quais ela dialoga na defesa da construção de um currículo emancipatório, que favoreça a mudança no sistema de ensino brasileiro. Apoiados na reflexão, concluímos apontando que esse projeto deve ser construído de forma coletiva e intencional, privilegiando uma formação para a emancipação política, o exercício da cidadania, a responsabilidade social e o respeito à diversidade humana.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.