VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NO LIVRO DE 8º ANO DE LÍNGUA INGLESA DA COLEÇÃO ALIVE!

Patrícia Azambuja Pereira, Taíse Simioni

Resumo


Neste artigo analisamos o livro didático de língua inglesa da coleção Alive! utilizado no oitavo ano de uma escola pública da cidade de Bagé-RS. Nossa análise teve como objetivo verificar quais são os níveis de variação linguística presentes no material, assim como os fatores sociais que podem auxiliar na identificação dos níveis de variação. Foi identificado um total de quatro entre os níveis de variação propostos por Bagno (2007): fonético-fonológico; sintático; lexical e estilístico-pragmático. Além desses quatro níveis, o material abordou a spelling variation, também conhecida como variação ortográfica, mas que não faz parte dos níveis propostos pelo autor. Quanto aos fatores sociais, foram identificados apenas três: origem geográfica; status socioeconômico e redes sociais. Observou-se que, dentre os níveis de variação, houve maior destaque à variação fonético-fonológica, presente em 40% dos casos. Quanto aos fatores sociais, é notório o destaque da variação de acordo com a origem geográfica, presente em 74% dos casos. Além disso, verificamos que a variação morfológica e a semântica não foram abordadas, assim como os seguintes fatores: grau de escolarização; idade; sexo e mercado de trabalho. Dessa forma, verificamos que, embora o material aborde diferentes variedades, ainda é necessário ampliar o leque de conhecimento dos alunos para que não se limitem a crer que a língua varia apenas de acordo com o local onde se fala ou então que as variedades estão restritas ao accent de cada região.

Palavras-chave


variação linguística; livro didático; língua inglesa

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.