Avaliação do Desenvolvimento Ponderal do Nascimento aos 550 dias de Idade em Bezerros Mestiços das Raças Chianina e Nelore, no Estado do Maranhão

Carlos Henrique Mendes Malhado, Jorge André Matias Martins, Raimundo Martins Filho, Riccardo Bozzi, José Adalmir Torres de Sousa, Alessandro Giorgetti

Resumo


O objetivo deste estudo foi analisar os pesos ao nascimento (PN) e aos 205 (P205), 365 (P365) e 550 (P550) dias de idade e os ganhos em peso diários de bezerros mestiços (Y2Chianina + Y2Nelore). O rebanho era composto de 75 vacas Nelore (puras de origem) e 130 vacas Nelore "cara limpa" (sem registro), criadas exclusivamente a pasto, no Estado do Maranhão. O modelo estatístico incluiu os efeitos fixos da raça da vaca, linhagem do pai e sexo da cria, além da covariável idade da vaca ao parto, utilizando o procedimento GLM do programa SAS (2001). As médias observadas para PN, P205, P365 e P550 foram 38,2 ± 2,9 kg, 178,2 ± 15,2 kg, 226,3 ± 20,3 kg e 293,5 ± 32,0 kg, respectivamente. Os ganhos em peso diários foram 0,68 ± 0,07 kg/dia, 0,30 ± 0,07 kg/dia e 0,36 ± 0,12 kg/dia, para o ganho em peso do nascimento ao desmame, ganho em peso do desmame aos 365 dias de idade e ganho em peso dos 365 dias aos 550 dias de idade, respectivamente. Dentre os efeitos estudados, apenas a idade da vaca (efeito linear e quadrático) não influenciou significativamente nenhuma característica. O peso ao nascimento apresentou baixa associação com as outras pesagens. Os pesos aos 205, 365 e 550 apresentaram alta associação entre si. Entretanto, a superioridade em determinada pesagem não está associada com o ganho em peso diário subseqüente. Os resultados evidenciam a potencial idade de criar bezerros cruzados Chianina x Nelore na região pré-Amazônica.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15528/406