Avaliação do Ambiente Térmico em um Aprisco Suspenso para Caprinos

Débora Andréa Evangelista Façanha, Jacinara Hody Gurgel Morais, Wirton Peixoto Costa, Angela Maria de Vasconcelos, Alan Jhon Fonseca de Oliveira, Aytan Lacerda de Castro

Resumo


Esta pesquisa foi realizada no Setor de Caprinocultura da UFERSA, em Mossoró-RN, com o objetivo de avaliar o conforto térmico de um aprisco suspenso para caprinos ao longo do dia. Os dados foram registrados em quatro dias na época seca e quatro na época chuvosa, em intervalos de uma hora, durante 24 horas. Foram registradas no interior do aprisco a temperatura, a umidade do ar, a temperatura do globo negro e, a partir desses dados, foi calculado o Índice de Temperatura de Globo e Umidade (ITGU). Foram registradas essas mesmas variáveis na estação meteorológica da UFERSA, onde foi instalado um segundo globo negro. Esses registros corresponderam aos dados do ambiente externo. Não houve diferença entre a localização (interna ou externa ao aprisco) em relação às variáveis meteorológicas. As interações entre época e local também foram significativas, sendo as piores situações de conforto térmico verificadas na época seca no exterior do aprisco. Houve correlações positivas entre ITGU e as temperaturas do ar e do globo e negativas entre ITGU e umidade do ar. Concluiu-se que o interior do aprisco utilizado no Setor de Caprinocultura da UFERSA ofereceu melhores condições de conforto térmico tanto na época seca quanto na chuvosa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15528/625