Desempenho de Ovinos Alimentados com Diferentes Níveis de Pseudofruto Seco do Cajueiro

Paulo Henrique Ribeiro Borges, Abelardo Ribeiro de Azevedo, Ronaldo de Oliveira Sales, Francisco de Assis Vasconcelos Arruda, Arnaud Azevêdo Alves

Resumo


Esta pesquisa objetivou testar rações totais, utilizando diferentes níveis de inclusão do pseudofruto seco do cajueiro (PSC) no concentrado. Foram utilizadas 32 ovelhas sem raça definida (SRD), com 10 meses de idade e peso vivo entre 15 e 20 kg. Os animais foram confinados durante 62 dias. O período experimental teve duração de 42 dias, sendo precedido de um período de adaptação de 20 dias. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com 4 tratamentos (níveis de inclusão de PSC no concentrado 0; 15; 30 e 45%), cada um com 4 repetições. Não foram observadas diferenças significativas entre os tratamentos nos parâmetros produtivos avaliados (teste t de Student, P>0,05), consumo de matéria seca (88,44; 95,67; 94,25; 93,55 g/UTM), consumo de proteína bruta (14,69; 15,68; 15,80; 15,83 g/UTM), ganho de peso (150,30; 133,33; 152,68; 120,23 g/dia) e conversão alimentar (6,76; 7,47; 6,49; 9,83), obteve-se diferenças significativas (P<0,05) com relação aos consumos de FDN (43,27a; 50,71b; 50,58b; 52,91b g/UTM). A utilização do PSC não alterou negativamente as respostas medidas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15528/95