TERRAÇOS FLUVIAIS NO BAIXO CURSO DO RIO PIRANHAS-AÇU COMO CONTRIBUIÇÃO GEOCRONOLÓGICA HOLOCÊNICA

Pedro Ítalo Aderaldo, Archimedes Perez Filho

Resumo


A identificação de cotas altimétricas em baixos terraços fluviais, compreende-se como uma etapa prévia, a aplicação de técnicas geocronológica, em alguns estudos sobre reconstituição de paisagens holocênicas. Nessa perspectiva, verifica-se nesse artigo, as altimetrias presentes, por meio de perfis, em baixos terraços fluviais e em outras formas, localizadas no baixo curso da bacia do rio piranhas-açu, estado do Rio Grande do Norte – Brasil. Realiza-se também, discussões entre terraços fluviais e geocronologia. Nota-se que predominantemente as cotas constatadas nos terraços fluviais, variam de 2 a 6 metros, equiparando-se as altimetrias encontradas em outras bacias do sul e sudeste do Brasil.


Palavras-chave


Terraços Fluviais. Baixo Curso. Holoceno.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26694/equador.v9i3.10401

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista da Pós-graduação em Geografia, do Centro de Ciências Humanas e Letras da UFPI

 ISSN 2317-3491

A Revista está atualmente indexada às seguintes bases de dados: LATINDEX, DIADORIM, IBICT/SEER, SUMÁRIOS.ORG, PERIÓDICO CAPES, GOOGLE ACADÊMICO, GENAMICS JOURNAL SEEK.

A REVISTA EQUADOR faz uso do DOI (Digital Object Identifier), através da associação com o CrossRef.