DO GLOBAL AO LOCAL: os diferentes interesses e agentes no MATOPIBA, Brasil

Lorena Izá Pereira

Resumo


Historicamente, o capital encontra estratégias para acumulação e a incorporação de novos territórios. No século XXI, em meio uma convergência de múltiplas crises (alimentar, ambiental, climática, energética e financeira), alterações geopolíticas globais e avanço do neoliberalismo, diferentes agentes (re) criam estratégias para acessarem e controlarem o território. Neste sentido, diversos interesses de agentes multiescalares convergem na materialização do land grabbing. Partindo do pressuposto que o land grabbing é um processo geral, particular e singular formado por dinâmicas globais e nacionais em interação, argumentamos o MATOPIBA é resultado de um modelo de expansão promovido por interesses e agentes em diferentes escalas. O objetivo deste artigo é evidenciar como o MATOPIBA é um território conformado para atender os interesses de agentes em múltiplas escalas, desde o global até o local.


Palavras-chave


Land Grabbing. Escala. Estrangeirização. Território.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26694/equador.v9i1.9339

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista da Pós-graduação em Geografia, do Centro de Ciências Humanas e Letras da UFPI

 ISSN 2317-3491

A Revista está atualmente indexada às seguintes bases de dados: LATINDEX, DIADORIM, IBICT/SEER, SUMÁRIOS.ORG, PERIÓDICO CAPES, GOOGLE ACADÊMICO, GENAMICS JOURNAL SEEK.

A REVISTA EQUADOR faz uso do DOI (Digital Object Identifier), através da associação com o CrossRef.